sábado, 3 de junho de 2017

GOVERNADOR DE JACARTA, CAPITAL DA INDONÉSIA, É CULPADO POR BLASFÊMIA


Sentenciado a 2 anos de prisão sob o crime de ter cometido blasfêmia, o governador de Jacarta é um camundongo para o teste de tolerância religiosa no maior país muçulmano do mundo.

Basuki Purnama tentava sua reeleição apontando no próprio Corão que não há restrições para muçulmanos votar em devotos de outras religiões e gozava de certa popularidade, no entanto, foi achado um suposto vídeo em que insulta o islã durante sua campanha. Foi preso imediatamente.

A sociedade indonésia está passando por uma onda de radicalização com movimentos e protestos moralistas como por exemplo marcha anti-LGBT que ocorreu em 2016. No caso do governador de Jacarta foram 200 mil indonésios às ruas pedir a prisão do mesmo.

A Lei de Blasfêmia é a arma judicial mais usada no mundo islâmico para perseguir minorias religiosas, isto fere a muitos direitos humanos. O que mostra que lá não há tolerância religiosa (como querem fazer os ocidentais acreditarem) e muito menos democracia.

Já espantoso que um país regido pela Sharia haja um político cristão, mais ainda que esteja em posição de autoridade. Numa sociedade em que a política e a justiça está submetida ao Corão é inadmissível que um cristão "domine" muçulmanos.

Provavelmente Basuki não será reeleito, provavelmente não haverá cristãos em cargos majoritários neste país. A nova geração de indonésios está tendendo muito a extremismos, não à toa que tem crescido a simpatia pelo Estado Islâmico no país.


Fonte: CJ

OBSERVATÓRIO DA FÉ

Nenhum comentário:

Postar um comentário